MeE:

7

Jul

Camila Bento

Sem categoria

0004t0qt 

Como as jardineiras que nós pusemos no post que comentaste não estão à venda em Portugal, para não te dizer só onde podes encontrar pusemos também uma imagem e em baixo vais saber mais sobre elas.

Estas são da Venca que é um catalogo, do género da La Redoute, mas mais pequeno. E ainda por cima estão em promoção. Agora estão a parte de 21.90 euros. Aproveita!!!

 

Se não gostares do modelo da Venca podes sempre encontrar por exemplo na Berhka.

Deixe aqui o seu comentário!

MeE_2_xD diz:

kual e u dite du katalugu da venca ?

bjx

Adoro jardineiras e estas são lindas! Grin
Adoro o blog. Parabens pelo excelente trabalho. Wink

Madalena diz:

Ela não foi ao extremo da situação, mas foi apenas por os pais saberem e nós, as suas amigas, também, e estivemos sempre alerta. (Como já fiz este coment à algum tempo no outro blog houve evolução da situação) … A Carolina começou a comer, aos pouquinhos, as enfermeiras davam-lhe certos alimentos e ela lá comia, depois ao começar a comer regularmente, tinha que fazer 7 refeições por dia, e era pesada 2 vezes por semana, se o peso da Carol aumentasse, podia receber uma visita dos pais, por cerca de 5 minutos, não tinha telemóvel, não podia receber cartas, postais, o que quer que fosse, estava como que fechada ao mundo, a Carol com isto teve uma vontade enorme de comer, e quando falava com a psocóloga(que a visitava regularmente) dizia contasntemente:”eu quero ocmer para sair daqui. Tenho força de vontade para sair deste mundo horrivel, assim foi, ao chegar aos 40kg(10kg a mais do que ela tinha ao entrar no hospital) a Carol pode passar um fim-de-semana em casa, e se durante esse fim-de-semana não perdesse peso, teria alta na segunda-feira. Teve, agora falo todos os dias com ela, e vamos encontrar-nos esta semana, mais o nosso gurpo. Todos nós sabemos o que ela passou, porque também sofremos com ela! Agora é para sempre, esta doença tem que ser sempre vigiada, há sempre muitas recaídas , e são raras as pessoas que só ficam assim uma vez.
A Carolina é um grande exemplo do que se passa, mesmo à frente dos nossos olhos ! Por favor, não se metam em loucuras destas, prejudica-vos imenso ! E se quiserem emagrecer, consultem médicos, professores, e os pais ! Não o façam sozinhas. A sociedade de agora, leva-nos a fazer este tipo de loucuras, ao vermos modelos magríssimas, queremos ser como elas, mas a sua maioria passa por problemas como estes.Obrigada por terem lido isto, e por favor ajudem quem estiver prestes a entrar nesta situação.Beijos.

Madalena diz:

Olá.É provável que já tenhas lido isto no blog ‘Moda e Beleza’ … mas como a ‘Editora’ do mesmo não deu atenção ao mesmo, eu agradecia que ao menos alguem nesta ‘Blogosfera’ da Moda, fizesse um post sobre este problema! Vou contar uma história completamente verídica acerca da anorexia: Há cerca de 4 meses, que a Carolina começou a reparar mais do que o habitual nas suas gordurinhas a mais, mas na realidade ela era a única pessoa a reparar nelas, porque ela era muito bem constituída , e tinha tudo no sitio. A Carolina com os seus 13 anos, ao deparar-se com esse ‘grave problema’ ( que de grave não tinha nada ) achou que devia fazer uma dieta, e emagrecer uns quilinhos, mas não o disse a ninguém, eu e mais uma amiga nossa ( Joana ) que almoçamos 2 vezes por semana com ela começámos a notar, que ela estava mais magra, e que já não comia como antigamente, nos intervalos das aulas costumávamos ir ao bar para comprar qualquer coisa para comer, a Carolina deixou de o fazer, ao depararmo-nos com esta situação, eu e a Joana decidimos conversar com ela, e assim foi. Ela admitiu que se achava gorda, e que estava a deixar de comer para emagrecer, nós a principio não sabíamos o que fazer, controlávamos o que ela comia mas nada mais, até que decidimos tomar uma atitude, ou a situação tomaria posições drásticas, e fomos falar com a monitora do ATL onde a Carolina ia todos os dias, ela disse que ia ver os seus lanches e almoços e que depois falava connosco, passados 3 dias, a monitora do ATL ( Susana ) ligou-nos e pediu-nos para irmos nesse mesmo dia, ao ATL , para conversarmos com os pais da Carolina, e eles ficaram chocados, mas logo no dia seguinte, marcaram uma consulta de Distúrbios Alimentares para a Carol , e também uma ida ao psicólogo , a situação foi andando, ela passou a tomar antidepressivos e tudo parecia estar a recompor-se, mas há um mês atrás reparámos que ela continuava a emagrecer, e fomos falar com a professora mais chegada a ela e a nós, a professora de História, como a nossa stora é nova ( ainda só tem 28 anos ) ela compreendeu a situação, e contou-nos que também já passara pelo mesmo com a nossa idade, e que ia falar com a Carolina. Desde essa conversa que a Carolina ficou mais sensível a tudo o que a rodeia, mas continuava a dizer que estava bem, e que comia, eu e a Joana sempre nos preocupámos, e não acreditávamos muito nela, à 9 dias, a Carolina foi para casa mais cedo, e em vez de almoçar connosco, a mãe foi buscá-la à escola, porque a psicóloga disse para ela não ir à aula de educação física da tarde, para não ter problemas. No dia seguinte, a Carolina não foi à escola, eu e a Joana, preocupadas, ligámos para ela, quem nos atendeu foi a mãe, no dia anterior a Carolina foi para casa, e com o cansaço, adormeceu, quando acordou sentia-se mal, e foi de urgência para o hospital, ficou a soro, e desde então não foi mais à escola e todos os dias ia para o hospital para se alimentar a soro … Ontem a Carolina ligou-me, a chorar e a dizer que queria ir despedir-se de mim e da Joana à escola, não percebemos o porquê da despedida, mas combinámos encontrar-nos nessa tarde, a Carolina apareceu, estava num estado horrível, as calças ( um tamanho 30 ) estavam-lhe muito largas, e a t-shirt que usava também, estava cheia de nódoas negras, por bater em sítios , e com a fraqueza ficar logo magoada, mal andava e toda curvada, estava branca, e os cabelos ao mais pequeno puxão, caiam. Não chorámos ao ver o seu estado ( a nossa stora de história, ajudou-nos e explicou-nos o que não deveríamos fazer, uma grande ajuda mesmo ! ), depois a Carolina começou a chorar, mas chorava em silêncio, porque ela mal conseguia falar, do pouco que ela disse percebemos que ela ia ser internada no hospital, quando se fosse embora de ao pé de nós, foi uma despedida, não podemos ligar-lhe nem ir vê-la (porque ela não pode ter emoções fortes),agora temos informações sobre o estado dela através da mãe dela, e mandamos-lhe mensagens, mas não muitas, pois ela não pode escrever muito, porque se cansa.Está internada, porque já não comia nada à 9 dias,e as análises que ela fizera à cerca de duas semanas, estavam completamente fora do normal. Agora, vai ter que aprender a comer de novo, está numa sala de nutrição.(vou continuar no próximo comentário)