Vou para a universidade… e agora?! (#2)

26

Jul

Camila Bento

decoração, universidade

c766907747c65f9f67840c2e6de22bd8

Futuras estudantes universitárias, a candidatura está feita? Provavelmente, estão bastante ansiosas, mas agora é altura de aproveitar as férias, até porque se forem para determinadas faculdades, nunca mais terão umas férias tão longas (calma, noutras até podem ter umas férias maiores que as do secundário!).

Se o primeiro post desta rubrica era exclusivamente dedicado a quem se iria inscrever pela primeira vez na universidade, este é válido para qualquer estudante universitária, sobretudo para quem esteja à procura de casa, eu incluída!

Vamos, então, falar da mudança de casa e de tudo aquilo que isso implique!

Certamente já fizeram a seguinte questão: “Onde é que vou viver?”… É certo de que ainda estamos em julho, mas há assuntos que devem ser definidos com alguma antecedência e este é, claramente, um deles. Existem várias hipóteses: viver em casa de um familiar, arrendar um quarto numa residência para estudantes, arrendar um quarto numa casa a partilhar com outros estudantes ou arrendar uma casa com amigas/os.

No primeiro ano, vivi com a minha madrinha que me acolheu muito bem em sua casa, mas combinei com duas amigas que este ano iríamos procurar uma casa para viver as três. Começámos no fim de junho a procurar e embora tenhamos alguns apartamentos debaixo de olho, a tarefa tem sido bastante difícil, visto que cada uma estuda numa faculdade diferente. A nossa zona de eleição seria S. Sebastião, Picoas, Saldanha, Campo Pequeno, visto que seria central para todas. A questão é que a oferta é muito pequena, mesmo já tendo alargado as zona onde estaríamos dispostas a viver. Por isso, o meu conselho é: não deixem esta tarefa para a última da hora! 

Pelo que tenho percebido, existe muita gente que só arrenda casas a conhecidos e, por isso, não coloca anúncios. Caso não tenham conhecimento de ninguém que esteja a arrendar casa, aconselho-vos a procurar em sites como: Imovirtual; Idealista; Casas

Comecem por definir o vosso budget. A meu ver, este passo é essencial para que filtrem os apartamentos e reduzam a vossa procura, não perdendo tanto tempo. Devem também pensar se querem uma casa equipada e mobilada. No nosso caso, não faria sentido estar a alugar uma casa que não tivesse a cozinha equipada e, sem dúvida, que preferimos uma casa já mobilada, para nos facilitar a mudança… Ainda assim, muitas vezes as casas desmobiladas compensam bastante, visto que no Ikea existem mobílias muito acessíveis e a diferença na renda pode ser substancial.

Umas palavras muito realistas agora: é muito difícil encontrar a casa ideal! O budget dos estudantes normalmente não o permite e raramente compensa. Ainda assim, é normal que tenhamos alguns requisitos fundamentais… A localização é um fator importante, visto que, por vezes, pode compensar em termos de €, mas a nível de tempo ser um uma desgraça; quartos sempre com janela, pelo menos, eu não conseguiria que fosse de outra forma (confesso que nem sei como alugam quartos sem janela, visto não ser permitido, mas…), há também quem não consiga estar num apartamento sem varanda (eu compreendo!)…

casa

Depois de terem escolherem a casa, é certo de que terão que fazer algumas compras! A maioria dos senhorios não disponibiliza roupa de cama, loiça, toalhas, entre outros básicos sem os quais não poderão viver. Além do mais, é normal que queiram dar um toque da vossa personalidade a um dos sítios onde irão passar mais tempo no próximo ano… Podem consegui-lo comprando uns cortinados, um colcha, bem como alguns elementos decorativos bem ao vosso estilo. Também vos aconselho a selecionar algumas fotografias da vossa família, amigos e namorado!

Viver com amigos, e sobretudo com pessoas que não conhecemos, não é tarefa fácil – todos dizem e nós vamos comprovar isso! Ainda assim, há algumas dicas farão toda a diferença e que facilitarão a convivência, bem como a vossa vida fora de casa dos “papás”:

  • Façam uma escala de tarefas. Assim, será mais fácil manter a casa em ordem e assim nunca se poderá dizer que um dos elementos participa menos nas tarefas da casa.
  • Tentem lavar a loiça logo após utilizarem. Quando a “pilha” de loiça aumentar, certamente a vontade de a lavar será muito menor!
  • Respeitem o espaço dos vossos colegas de casa. Não falo apenas de privacidade, mas qualquer pessoa gosta de ter os seus momentos a sós, e algumas pessoas ainda mais do que outras, por isso não se esqueçam de ter este ponto em atenção!
  • Peçam logo desculpa quando errarem. Pedir  desculpa é meio caminho andado para evitar problemas de maior… É normal que os conflitos aconteçam, mas o ideal é que não se prolonguem e não causem mau ambiente durante dias.
  • Não descurem a alimentação! Muitas pessoas começam a ter uma alimentação muito desequilibrada quando deixam de viver com os pais… Outros o contrário! Espero que façam parte do segundo grupo. Tenham sempre comida saudável em casa e evitem comer muitas vezes fora, sobretudo em sítios como o McDonalds e outras coisas que tais! No ano passado, a minha avó mandava-me sempre umas quantas caixas de sopa, de modo que comia sopa quase todos os dias. O resto normalmente era eu a cozinhar, exceto nas semanas mais complicadas em que a minha mãe facilitava a tarefa, enviando algumas coisas.
  • Sejam responsáveis! Conhecem a frase  “Máxima liberdade, máxima responsabilidade”, certo? Pois bem, é o início de uma fase em que se ganha muita independência… É provavelmente uma das fases mais divertidas da nossa vida, mas não nos podemos esquecer que é imprescindível haver equilíbrio entre a diversão, os estudos, o sono…

Espero que o post vos seja útil, mas caso tenham mais alguma dúvida, não hesitem em deixar um comentário ou um e-mail.

Se houver por aqui leitoras que já tenham passado por esta fase, seria ótimo deixarem o seu testemunho! 

Deixe aqui o seu comentário!

Joana diz:

Olá Carolina, no próximo ano vou para a Universidade e quero ir viver para Lisboa, mas não tenho uma noção muito clara do que é um bom preço para uma renda mensal de uma casa partilhada ou um quarto…? Beijos

adriana diz:

essa é uma experiência realmente diferente, mas há imensos cuidados a ter, não sei se estás a pensar fazer um post mais específico sobre isso Smile é necessária muita atenção aos senhorios, que às vezes podem ter casas “arranjadinhas” mas com muitos problemas escondidos e que depois se recusam a resolver, ainda que cobrem balúrdios pela casa ou quarto… cuidado com as companhias que escolhem também, evitem pessoas muito viradas para festas (se não forem assim também, claro), porque a probabilidade é que, sem controlo dos pais, essas pessoas se tornem ainda mais “festeiras” e deixem de ter respeito pelos colegas de casa… mais um conselho: não morem com irmãs! especialmente se forem raparigas tímidas, deixam simplesmente de ter com quem falar em casa e não é, de todo, agradável…

Marta diz:

Gostei muito do post Smile Ainda não é o meu ano mas como já vou entrar no 12 ano quero estar já “preparada” mentalmente 

http://mourissima.blogspot.pt

Depois do meu primeiro ano a viver em Lisboa (na zona do Campo Pequeno), decidi que também quero mudar de casa, a procura do quarto já começou mas está a ser difícil encontrar o tal com um bom preço/qualidade.

Durante 4 anos vivi fora da minha cidade e é uma experiência única! 
Aprendemos e crescemos imenso! 
Recomendo vivamente!
Cris

Jéssica diz:

Acabei agora o primeiro ano longe de casa tal como tu e foi um dos melhores anos da minha vida! Meninas, não tenham medo de ficar longe de casa porque vão ter experiências novas com pessoas incríveis e tudo vai valer a pena Smile quanto aos colegas de casa, tive a sorte de ter 4 colegas espetaculares, sendo que 3 delas eram desconhecidas, que agora considero como melhores amigas! Atirem-se de cabeça!! Grin