Para uma semana cada vez melhor

24

Out

Daniela Monteiro

saúde

Chegando ao fim da semana, podemos ganhar muito ao fazer uma pequena retrospetiva. Hoje decidi fazer um post mais íntimo e partilhar convosco alguns pontos em que refletir, algures durante este fim de semana Smile

Cumprimos objetivos? É importante olhar para trás e pensarmos no que ficou ou não por fazer. E, se ficou algo por fazer, devemos pensar se realmente vale a pena transportar esse objetivo para o futuro, se realmente nos faz feliz e é importante para nós, pois caso contrário, provavelmente é essa a razão pela qual não o fizemos agora. No futuro continuaremos sem motivação para o concretizar e, portanto, não vale a pena continuarmos com esse peso na consciência – nem na agenda.tumblr_n2fkl1CVsr1r8tri8o1_1280

Se a semana não correu como esperávamos, há que perceber porquê. Partirmos imediatamente do princípio que a culpa é nossa e que podíamos ter feito melhor é uma atitude derrotista e negativa! Decerto houve alguma coisa que não estava nas nossas mãos, e é importante distinguir o que é que podemos melhorar, em vez de perder tempo e força em autocomiseração.

No trabalho, na escola, entre amigos e família, as relações nem sempre correm bem. Seja por estarmos a ter um mau dia, sermos precipitados, ou apenas à custa de aspetos menos agradáveis da nossa personalidade, podemos magoar alguém sem ter essa intenção. Passados uns dias podemos ter esquecido, mas sabemos que quando nos cruzarmos novamente num corredor o assunto vai estar lá, a pesar no ambiente. Não deixem que essas situações se arrastem. O melhor é mesmo resolver tudo na hora, e se não aconteceu, façam um esforço por pedir desculpa (caso sintam que devem, é claro) o mais rápido possível e resolver a situação.

E por fim, é claro, temos de pensar em nós próprios! As mulheres, em especial, têm uma facilidade enorme em dedicar-se aos outros e esquecerem-se um pouco de si. Temos tido tempo para tratar da pele, pensarmos na roupa que vestimos e na maquilhagem que usamos para nos sentirmos super confiantes? São questões em que não pensamos muito, mas podem ajudar muito no dia a dia! Se sairmos de casa arranjadas (ao nosso gosto!), estamos a criar a tela em branco perfeita para um novo dia. Não menosprezem esses pormenores.

Espero que vos ajude a tirar algum tempo para refletir, e que a próxima semana seja ainda melhor do que esta! Beijinho, dani

imagens: tumblr.com

Deixe aqui o seu comentário!

Andreia diz:

Olá, Daniela!
Este teu post fez-me lembrar de uma coisa que tem andado na minha cabeça nos últimos dias.
Eu tenho pouca confiança em mim, isso acontece também porque tenho “fofura” a mais. Estou na faculdade, neste momento. As minhas amigas dizem que tenho de começar a mudar o meu estilo. Normalmente, a minha “cena” é t-shirts, sweats, jeans e ténis. Tenho mudado um pouco e substituído, em alguns dias, as sweats e os casacos desportivos simples por camisas axadrezadas e casacos de cabedal. Uma vez ou outra substituo os ténis por botas rasas, mas elas magoam-me, passado um bocado, por causa dos calos que tenho nos pés. As minhas amigas dizem que tenho de usar camisolas com um estilo e tecidos mais “clássicos”, mas eu não gosto, gosto de me sentir confortável, com algodão, aquelas coisas confortáveis. Dizem que também tenho de aprender a maquilhar-me mas não tenho muita paciência, a única coisa que faço é meter lápis na parte interior da pálpebra inferior e batom, não uso base porque ainda prejudica mais a pele e não tenho grandes problemas de bicos, espinhas e manchas. Não sei, precisava de desabafar isto, nestes últimos dias parece que tenho um peso na cabeça – a juntar-se a mais umas coisas – e não me apetece ir para a faculdade, apetece-me ficar em casa.
Desculpa o desabafo, Daniela, mas estava a precisar.

Beijinhos*

Daniela Monteiro diz:

Olá Andreia! Não tens nada que pedir desculpa, não foste inconveniente em nada do que disseste. Este post convida mesmo a uma introspeção, e fico feliz por ter levado a essa reflexão. Espero que estes comentários te tenham mostrado que o que realmente importa é fazeres o que te faz feliz, e não a opinião dos outros! Se o que te faz feliz não afetar ninguém e houver alguém que reprova isso, tens de pensar se realmente queres essa pessoa na tua vida. Beijinhos!

maria diz:

Andreia! Sê sempre tu própria! Não vás atrás do que as tuas “amigas” dizem! Serão elas verdadeiramente amigas? Há dois anos resolvi cortar o cabelo e pôr uma franja a direito. A minha mãe avisou-me que não me ia ficar bem porque tenho o rosto oval e fino. As minhas amigas “adoraram” a minha franja ….e eu fiquei 4 meses à espera que ela crescesse o mais depressa possível! Já nem me podia olhar ao espelho! Por isso, olha tu para o espelho antes de sair de casa. Se gostares do que vês é porque estás bem contigo própria. Que se lixem os outros!

Carina diz:

Percebi totalmente o que dizes… E acho que não tens de mudar pelo que as tuas amigas dizem. Muitas das vezes, elas estão bem intencionada, não duvido. Mas sei que tentar mudar a nossa maneira de nos vestirmos e arranjarmos, quando não parte de nós, é como estar a mudar quem somos. Porque, no fim de contas, a nossa personalidade reflete-se nisso!
Eu por exemplo, já tive fases em que ligava mais a isso, embora não muito, porque nunca senti essa necessidade. Agora, por exemplo, estou no primeiro ano da faculdade, e tenho usado um estilo completamente confortável… Se for preciso, daqui a uns tempos, apetece-me preocupar-me mais com o que visto… Depende do meu nível de stress, da minha paciência, das circunstâncias. O importante é sentirmo-nos bem connosco próprias, seja de que forma for!
Claro que isso não invalida o que a Dani disse de não nos desleixarmos. Só tratando de nós podemos ter auto-confiança. E se para umas pessoas isso passa por pôr um pouco de base e já enfrentam o mundo de frente, para outras isso significa coisas mais simples.
Não deixes que estas questões te impeçam de fazer coisas, estar com pessoas… a nossa vida somos nós que a fazemos!! Smile