5 formas de aprendizagem fora das aulas

27

Fev

Daniela Monteiro

universidade

O ensino superior é uma oportunidade à qual, infelizmente, nem todos os que têm potencial para isso têm direito. Por isso, quem lá chega deve valorizar ao máximo, e beber tudo aquilo que a universidade proporciona! Hoje deixo-vos apenas alguns dos conselhos que poderia dar. Tomem-nos por aquilo que são e nada mais: fruto da experiência de uma vossa colega universitária Wink

Voluntariado. Além de ajudarem alguém, vão adquirir facilmente imensas competências que só se consegue vivendo a experiência. O contacto com as pessoas mantendo o equilíbrio entre profissional e descontraído, lidando com as mesmas que muitas vezes serão crianças, idosos ou doentes. A representação de uma associação ou empresa. A responsabilidade de tarefas e prazos além das escolares, que permitirão desenvolver outras capacidades. E, é claro, possivelmente a descoberta de uma nova paixão ou, no mínimo, a humildade e o ser feliz com o que temos, que o contacto com estas situações suscita.tumblr_o32q9cnD4w1teio6so1_1280

Associações. As faculdades têm, regra geral, várias pequenas associações, além da associação de estudantes. Informem-se sobre todas as que existem – que envolvem voluntariado, imagem, música, relações externas e, é claro, as mais específicas relativamente à vossa formação. Se não se identificarem com nenhuma, por que não sondar os vossos colegas para saber se têm interesse em criar uma nova associação convosco?

Erasmus. As viagens são sempre uma fonte de aprendizagem, por toda a responsabilidade e novas experiências que envolvem. Se as fizerem em contexto de aluno, têm ainda o bónus de contactar com outros métodos de ensino, muito provavelmente diferentes daqueles a que estão habituados, o desafio de desenvolver rapidamente à-vontade num idioma diferente e, é claro, muitas novas amizades (e contactos profissionais). Normalmente os estudantes podem escolher fazer um semestre (unidades curriculares, portanto), estágio ou mesmo investigação em erasmus. Informem-se junto dos responsáveis na vossa faculdade.

Palestras. Não compensa ir a palestras que não têm qualquer interesse para vocês – a sério. Esse certificado nem sempre ficará bem no currículo, principalmente se não estiver de acordo com os vossos interesses gerais, e é fácil para um empregador identificar estes casos. No entanto, o que mais há na universidade são de facto palestras, e é verdade que podem contribuir não só para a vossa bagagem de conhecimento, como também para vos ajudar a escolher uma especialidade dentro da vossa área. Não as desperdicem!

Extra-curricular. Se nenhuma destas vos interessar particularmente, não deixem de ter atividades fora das aulas. É isso que vos dará a polivalência de equilibrar tarefas, mantendo-se organizados e responsáveis. Se não for mais nada, porque não um estágio na vossa área? Por vezes as universidades mais dedicadas à investigação permitem que os alunos participem nos projetos de professores e doutoramentos. Envolvam-se!

Têm alguma coisa a acrescentar? Então deixem comentário Smile Beijinho, dani

Deixe aqui o seu comentário!